Erros comuns no corte a plasma

May 8, 2020

 

Um bom operador com um equipamento com manutenção adequada pode reduzir incontáveis horas de paralisação em uma oficina e economizar em despesas operacionais. Essa economia resultará em lucros maiores para suas operações de corte e a sua empresa. Evite esses erros comuns:

  1. Usar consumíveis até que “estourem”

    Olhe na sua caixa de consumíveis usados e provavelmente você verá peças que foram usadas até falharem. Usar consumíveis muito desgastados pode não apenas estragar uma peça boa de metal, mas causar falhas graves na tocha e paralisações desnecessárias. Usar os consumíveis até que falhem é uma armadilha que pode ser facilmente evitada. Existem vários sinais de consumíveis desgastados; um operador experiente sabe dizer pelo som ou cor do arco ou mudanças sutis na altura da tocha que indiquem o desgaste das peças. Contudo, a melhor forma de julgar a condição das peças da tocha é verificar periodicamente a qualidade da borda de corte do metal e verificar os consumíveis quando o corte começar a se deteriorar. Mantenha um registro da vida útil média das peças ao longo do tempo (em número de perfurações ou tempo de arco aberto) e registre diretrizes para a expectativa de vida útil das peças com base na corrente, no material e na espessura. Depois que a vida útil das peças for determinada, o operador saberá quando verificar e/ou trocar os consumíveis — evitando uma falha catastrófica

    .

  2. Trocar consumíveis antes da hora

    Por outro lado, existem consumíveis que são descartados antes da hora. Ao invés de trocar consumíveis após um número de horas específico, um operador pode observar a condição de uso deles. Existem goivagens na parte interna e externa do bico? O orifício não está mais redondo? Se for o caso, então precisa ser trocado. Se não for, é provável que ainda possa ser utilizado. Para confirmar se o eletrodo está gasto, verifique o ponto de erosão do háfnio que fica bem no centro e troque se estiver baixo demais. Os distribuidores de gás devem ser trocados somente se revelar sujeira ou gordura nos orifícios, rachaduras, queimaduras no arco ou desgaste excessivo. O mesmo vale para os bocais, que devem ser trocados somente se apresentarem sinais de danos físicos. Geralmente, os bocais podem ser limpos de respingos de metal e reutilizados.

     

  3. Usar os parâmetros e consumíveis errados para o trabalho

    A seleção de consumíveis depende do material e da espessura que estão sendo cortados, da corrente e do gás de plasma usado e outros parâmetros de corte. O manual da fonte plasma definirá quais consumíveis são apropriados para os diversos tipos de corte. O uso de consumíveis incorretos pode reduzir a vida útil dos consumíveis e a qualidade de corte.

    É muito importante operar na corrente certa dos consumíveis. Se a corrente estiver muito baixa, o corte ficará malfeito; se estiver muito alta, a vida útil do bico será menor.

     

  4. Montagem incorreta dos consumíveis

    A tocha deverá ser montada de forma que os consumíveis estejam alinhados corretamente e se encaixem juntas firmemente. Isto garante um bom contato elétrico e um fluxo de gás e líquido refrigerante correto na tocha. Ao trocar os consumíveis, mantenha-os em um pano limpo para evitar que a sujeira ou o pó metálico contaminem a tocha. A limpeza durante a montagem da tocha é muito importante e muitas vezes é negligenciada. Ao aplicar lubrificante de anel retentor, use apenas o suficiente para o anel retentor brilhar. O excesso de lubrificação pode causar entupimento no distribuidor de gás e contaminação de pó metálico na tocha. Isso pode resultar em formação descontrolada de arco na câmara de plasma e, em última instância, falha na tocha. Nunca se deve aplicar graxa nas tochas — isso pode causar formação de arco destrutiva e queimaduras na tocha.

     

  5. Negligenciar a manutenção de rotina

    As tochas podem durar meses ou mesmo anos, com os cuidados necessários. As roscas da tocha devem ser mantidas limpas e as áreas de encaixe devem ser verificadas para ver se há contaminação ou danos mecânicos. Qualquer sujeira, pó metálico ou excesso de lubrificante de anel retentor devem ser removidos da tocha. Para limpar a tocha, use um cotonete e um limpador de contatos elétricos.

     

  6. Não verificar o fluxo do líquido refrigerante e do gás

    O fluxo e a pressão do gás e do líquido refrigerante devem ser verificados todos os dias. Se o fluxo for insuficiente, os consumíveis não serão refrigerados adequadamente e a vida útil será reduzido. O fluxo inadequado da água de refrigeração causado por bombas desgastadas, filtros entupidos, baixo nível do líquido refrigerante, etc. é uma causa comum de falhas nos consumíveis e na tocha. A pressão constante de gás é importante para manter o arco de corte. O excesso de pressão do gás é uma causa comum de “partida difícil”, uma situação na qual a tocha não consegue iniciar um arco quando todas as outras condições para operação normal estão corretas. O excesso de pressão do gás também gerará rápida deterioração dos eletrodos. Da mesma forma, o gás do plasma deve ser mantido limpo para evitar redução da vida útil do consumível e da tocha. Os sistemas de ar comprimido são propícios à contaminação por óleo, umidade e partículas. Importante sempre verificar o sistema de ar, e aplicar filtros na saída no sistema de ar.

     

  7. Perfuração muito baixa

    O afastamento, a distância entre a peça de trabalho e a ponta da tocha, é essencial para a qualidade de corte e a vida útil dos consumíveis. Até mesmo variações sutis na altura da tocha podem afetar a angularidade da superfície de corte. A altura da tocha durante a operação de perfuração é particularmente importante. Um erro comum é realizar perfuração muito baixa. Isso faz com que o metal fundido respingue na frente do bico e do bocal, causando danos nas peças e consequentes problemas na qualidade do corte. A altura de perfuração ideal é entre 1,5x a 2x a altura de corte assim protegendo os consumíveis.

     

  8. Velocidade de cote muito rápida ou devagar

    Cortar muito rápido ou devagar pode gerar problemas na qualidade de corte. Se a velocidade estiver muito baixa, as peças de corte vão gerar “escória de baixa velocidade”, um grande acúmulo de escória com bolhas na borda inferior. As altas velocidades podem causar um alargamento do kerf e quantidade excessiva de respingos no topo. Se a velocidade estiver muito baixa, o arco vai regredir no kerf gerando uma borda chanfrada, um kerf estreito e um pequeno filete endurecido de escória na borda inferior na peça de corte. Escória de alta velocidade é difícil de remover. A velocidade de corte correta produzirá pouca escória — o resultado será uma borda limpa que precisará de pouco retrabalho antes da etapa seguinte no processo de fabricação.

     

  9. Colisão da tocha

    Colisões podem danificar sua tocha de forma irreversível. As colisões da tocha com a peça de trabalho podem ser evitadas programando o sistema de corte de formas para contornar (e não passar em cima) das peças cortadas. Os sensores de altura da tocha também oferecem proteção contra colisões da tocha corrigindo as variações no material. O cuidado na programação do percurso de saída e da função de controle de altura da tocha pode minimizar isso. E, por último, dispositivos de montagem da tocha com conjunto de colisões podem ajudar a evitar danos à tocha.

Adaptado do site: https://www.hypertherm.com/pt/learn/articles/10-common-plasma-cutting-mistakes/

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Quais são os principais tipos de robô industrial?

March 14, 2018

1/6
Please reload

Recent Posts